quinta-feira, 27 de outubro de 2011

29 DE OUTUBRO - DIA MUNDIAL DA PSORÍASE

video

Associação Cearense de Portadores de Psoríase

A ACEPP

A Associação Cearense de Psoríase, ACEPP, é uma associação civil sem fins lucrativos que tem como missão promover a união entre os portadores de psoríase e artrite psoriásica do Estado do Ceará, através do apoio, orientação e esclarecimento sobre a doença, seus sintomas, tratamentos e direitos.
A ACEPP realiza mensalmente o Grupo de Apoio.Participamos todos os anos do Dia Mundial da Psoríase, no dia 29 de outubro, fazendo campanhas para informar a população sobre a doença, visando erradicar o preconceito e discriminação que os portadores sofrem no seu dia a dia.
O Projeto "fazendo Amigos" é mais uma atividade da ACEPP para que os portadores se reúnam em atividades de lazer e descontração para retornarem sua vida social.
Entre em contato pelo blog se você é paciente ou conhece algum portador de psoríase, caso seja médico, seja um voluntário.
Um beijo, um abraço, um aperto de mão.  

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Vivendo a Vida

video

O que os portadores de psoríase esperam do profissional médico


O que os portadores de psoríase esperam do profissional médico

O que for a profundeza do teu ser, assim será teu desejo.
O que for o teu desejo, assim será tua vontade.
O que for a tua vontade, assim serão teus atos.
O que forem teus atos, assim será teu destino.”
                                                               (Brihadaranyaka Upanishad)

A psoríase é uma doença crônica e inflamatória que atinge a pele, porém não é contagiosa. Afeta entre 1 a 3% da população mundial, conforme informativos divulgados pelas associações, através de pesquisas. Atinge homens e mulheres das mais diversas classes sociais e de todas as raças, sendo mais frequente na raça branca.
É uma doença que maltrata bastante, corrói a pele e a alma, destrói a autoestima, pois sentimos a mais pura manifestação do preconceito. É nesse momento que mais precisamos de nossos familiares, amigos e acima de tudo confiar nos profissionais que irão nos acompanhar nessa árdua caminhada, pois é um ciclo que começa em nosso destino e que nem sempre tem fim, mas sim o controle desse círculo cruel no qual nos deparamos.
Primeiro, a descoberta da doença, depois a angústia de sentir-se como se fosse a única pessoa do mundo a ser portadora desse tipo de lesão, “ cair na real ”, vem então, a aceitação, e por fim assumir o compromisso de um tratamento.
Portanto, é muito importante que o dermatologista que nos acompanha seja bem informado de todos os fatores que ocorrem em nosso dia a dia, saber todos os medicamentos que por nós são utilizados, pois muitas vezes no auge do desespero, além dos medicamentos orientados pelo profissional, apelamos para tudo... remédios caseiros, manipulados, crenças religiosas, etc. Uma coisa é certa! Essa não é a melhor saída. É relevante a credibilidade do paciente para com o profissional que o acompanha nessa difícil jornada.
A psoríase não tem cura, mas tem tratamento. Não há como prevenir a doença, embora seja possível controlar sua reincidência. Portanto, é de fundamental importância confiarmos no profissional que nos acompanha. Para a realização de um bom tratamento deve existir uma boa relação entre o médico e o/a paciente, pois esse fator tem uma grande influência na continuidade e persistência do tratamento. Isso vale não só para o tratamento de psoríase e o dermatologista especificamente, mas para qualquer enfermidade e qualquer especialista.
Atualmente os profissionais e instituições da área de saúde vêm se empenhando bastante em aperfeiçoar os tratamentos e a qualidade dos serviços prestados aos seus pacientes e isso nos faz crer na responsabilidade e na ética desses profissionais.
Vale ressaltar também a grande importância da relação interpessoal que é um fator importante na arte do cuidar. Pois, a medicina se estuda como uma ciência, porém deve ser praticada como uma arte e para isso não deve prevalecer apenas à vocação, mas sim com o talento e o desejo de fazê-lo de forma eficiente.
Desde a primeira consulta o/a paciente espera desse profissional um cuidado especial em que haja receptividade, respeito, reciprocidade e sobretudo a preocupação em querer ajudá-lo(a). Deve está aberto ao diálogo e disposto para responder à diversidade de perguntas, esclarecer dúvidas e curiosidades. Além de demonstrar sensibilidade, motivando, estimulando e encorajando, sempre apresentando confiança e autonomia. Contudo, é importante que o médico compreenda os sentimentos e o tempo do paciente sem invadir sua intimidade.
Concluindo, sabemos que nós, seres humanos, estamos propensos a qualquer tipo de enfermidade, mas é preciso entender também que vivemos num mundo em que devemos aprender e ensinar a condição humana, perceber que somos corpo, alma, mente e espírito e que precisamos interagir no sistema no qual fazemos parte. Enfim, perceber a multidimensionalidade humana, dialogando sempre razão/emoção e consciência humana . Pois somente assim podemos enfrentar as incertezas e fazer uso da aprendizagem , da ética e do amor.
Devemos agradecer àqueles que nos ajudam nos momentos difíceis, que são capazes de nos ajudar, seja qual for o nosso estado de ânimo, que estão sempre dispostos nos esperando para compartilharmos juntos o caminho do tratamento.
Laryssa Maria de Lima Carvalho